A educação é um direito de todos, mas o acesso à qualidade do ensino ainda é restrito apenas a uma parcela da sociedade. Os desafios para mudar essa realidade são muitos, principalmente quando há alunos e professores desmotivados e pouco reconhecidos. Reunimos aqui uma lista de filmes e documentários que podem inspirar alunos e professores nessa busca pela educação de qualidade. São filmes que mostram a realidade da educação, problemas  causados em alunos devido à pressão e cobrança dos pais e professores, mas também mostram histórias de alunos inspirados por professores que querem mudar a situação da educação.

 

 

A Sociedade dos poetas mortos, de Peter Weier (1989)

Em 1959, John Keating volta ao tradicionalíssimo internato Welton Academy, onde foi um aluno brilhante, para ser o novo professor de Inglês. No ambiente soturno da respeitada escola, Keating torna-se uma figura polêmica e mal vista, pois acende nos alunos a paixão pela poesia e pela arte e a rebeldia contra as convenções sociais. Os estudantes, empolgados, ressuscitam a Sociedade dos Poetas Mortos, fundada por Keating em seu tempo de colegial e dedicada ao culto da poesia, do mistério e da amizade. A tensão entre disciplina e liberdade vai aumentando, os pais dos alunos são contra os novos ideais que seus filhos descobriram, e o conflito leva à tragédia.

 

 

 

 

 

Corrida para lugar nenhum, de Vicky Abeles (2010)

"Corrida Para Lugar Nenhum" relata histórias de crianças e adolescentes americanos que foram pressionados ao limite, de educadores preocupados com o desenvolvimentos de alunos e de pais que tentam proporcionar sempre o melhor aos seus filhos. Além disso, o documentário aponta o silêncio epidêmico das escolas dos Estados Unidos, onde a cola se tornou uma prática comum entre os estudantes, doenças relacionadas ao stress e à depressão se fazem presentes e há o encaminhamento de jovens despreparados e desmotivados às universidades.

 

 

 

Pro dia nascer feliz, de João Jardim (2006)

A obra mostra as angústias e inquietações do adolescente, e em especial, a maneira como ele se relaciona com um ambiente fundamental em sua formação: a escola. Filmado em três estados brasileiros com classes sociais distintas, Pro dia nascer feliz desenha um diário de observação do adolescente brasileiro. Professores também expõem seu cotidiano profissional, ajudando a pintar um quadro completo das desigualdades e da violência no país a partir da realidade escolar.

 

 

 

Escritores da Liberdade, de Richard La Gravenese (2007)

A história, envolve adolescentes criados no meio de tiroteios e agressividade, e uma professora que oferece o que eles mais precisam: uma voz própria. Quando vai parar numa escola corrompida pela violência e tensão racial, a professora Erin Gruwell combate um sistema deficiente, lutando para que a sala de aula faça a diferença na vida dos estudantes. Agora, contando suas próprias histórias, e ouvindo as dos outros, uma turma de adolescentes supostamente indomáveis vai descobrir o poder da tolerância, recuperar suas vidas desfeitas e mudar seu mundo.

 

 

A onda, de Dennis Gansel (2008)

O filme “A Onda” é baseado em uma história real e se passa em uma escola de uma cidade na Alemanha. Logo na primeira cena somos apresentados ao personagem central da história: um jovem professor, motivado, formado em Ciências Políticas e Educação Física, com um casamento saudável e boas relações em seu ambiente de trabalho. O professor é informado pela coordenadora da escola que irá ministrar um curso sobre autocracia aos alunos, e mostra seu descontentamento com a notícia, pois seu desejo era dar o curso sobre anarquia – tema pelo qual tem um interesse pessoal. O projeto, com duração de uma semana, tem a finalidade de mostrar aos alunos as virtudes da democracia.

 

 

Ser e Ter, de Nicholas Philibert (2002)

O documentário mostra a rotina de uma escola de ensino fundamental, na região rural da França, que tem apenas uma classe. O filme conta as dificuldades e dedicação ímpar de um professor que tem de lidar com alunos entre 4 e 11 anos. Às vésperas da aposentadoria, Lopez mostra como se preocupa em educar a turma não só no que diz respeito aos conteúdos curriculares.

 

 

The Wall, de Alan Parker (1982)

Órfão de pai (morto durante a Segunda Guerra Mundial), o jovem Pink Floyd tem a infância marcada pela perseguição de seu professor e pela superproteção da mãe. Adulto, ele se torna um astro do rock e entra em depressão. Para salvar sua consciência e a própria vida, Pink terá de lidar diretamente com os fantasmas do passado.

 

 

Entre os muros da escola, de Laurent Cantet (2009)

O filme francês expõe o choque cultural e social dentro de uma sala de aula, entre professor e alunos que vivem em constante conflito. Como sustentar um projeto pedagógico quando os estudantes não demonstram disposição e interesse é o foco da questão.

 

 

A educação proibida, de German Doin (2012)

O longa-metragem argentino, produzido de forma independente e disponível gratuitamente na Internet, mostra 45 experiências de ensino não convencionais. A ideia é incentivar que se repense as metodologias, valorize a diversidade educativa, a liberdade pedagógica e curricular.

 

 

Educação a distância: o ensino "sem fronteiras", Patrícia Antonelli Artioli (2011)

O documentário apresenta diferentes pontos de vista sobre o ensino a distância, enfocando depoimentos de estudantes e profissionais de diferentes áreas do conhecimento e modalidades de ensino (presencial e a distância). As falas revelam dúvidas, críticas e argumentos a favor da democratização do ensino, chamando  atenção pra aspectos como a inclusão de segmentos populacionais historicamente excluídos do sistema educativo. Será a educação a distância uma educação efetivamente sem fronteiras? O que falta pra que essa modalidade de ensino avance no sentido de  mais do que números produzir um ensino de qualidade? Fica o convite à reflexão.



Por Caline Gambin - bolsista Jornalismo NTE